homepage Facebook Twitter RSS Feeds Mapa do sitio
         
temperaturaventoprecipitaçãoIndice UV ESMTG
1412.3Km/h01.3
BAIXO
EMARP - 2017 ago 07 - O MUNDO DAS FORMIGAS

Exposição O MUNDO DAS FORMIGAS20170424 Cartaz exposição EMARP

Mirmecologia de Rui Mesquita
7 de agosto a 8 de setembro de 2017
Horário: Dias úteis das 8h30 às 17h30

Rui Mesquita nasceu no ano de 1968 em Portimão.

Desde miúdo que os animais e a tecnologia o fascinam e, escolhida a segunda para profissão, ficou a primeira reservada para os tempos livres. Há cerca de oito anos, descobriu o mundo fantástico das formigas, a mirmecologia, parte da entomologia que tem por objetivo o estudo das formigas.

Incluindo-se na ordem dos insetos himenópteros, que inclui as vespas, abelhas e formigas, estas últimas pertencem à família dos formicídeos e possuem várias denominações populares: formiga do jardim, argentina, formiga preta, vermelha, da madeira, da cortiça…

Enquanto umas espécies de formigas criam túneis que permitem a circulação de ar, que no caso do subsolo torna a terra mais produtiva e beneficia a agricultura, ajudando a cuidar das plantações, afastando insetos prejudiciais, outras espécies são nocivas pois invadem casas e armazéns à procura de comida e podem destruir plantas, chegando inclusive a dizimar plantações.

O estudo das formigas atrai os naturalistas desde a antiguidade e as crianças muitas vezes mantêm formigueiros para observar suas atividades. Existem vários países em que as escolas mantêm ou levam os alunos a observar os formigueiros para que aprendam com elas: Trabalho… Perseverança… Sabedoria… Hierarquia... Cooperação... Partilha.

Reconhecidas como formando sociedades complexas e perfeitas em que todas trabalham para o bem comum, as formigas são mencionadas como símbolo de parcimónia e de esforço, porque muitas espécies parecem exercer uma atividade incansável e porque armazenam grandes quantidades de alimento.

Em Portugal, a atividade de criação de formigueiros não tem um significado relevante, pelo que as redes sociais dão uma ajuda nas dúvidas do dia a dia, juntando-se os criadores às comunidades a nível mundial para partilhar experiências. Existem cerca de 10 mil espécies de formigas, por isso, não surpreende que as formigas, como milhões de outros insetos sociais, vivam por todo o lado em todo o mundo com a exceção das regiões mais frias, os polos.

O comprimento das formigas pode variar entre os 1,6 mm e quase 5 cm e a maioria das espécies são vermelhas, negras, castanhas ou amarelas, mas existem também verdes e em azul metálico. Como outros insetos, têm seis patas e o seu corpo divide-se em três segmentos distintos: cabeça, tórax e abdómen. Sendo animais bastante fortes, capazes até de erguer pesos 50 vezes superiores aos dos seus corpos, as formigas alimentam-se de frutas, flores e sementes, embora algumas delas comam qualquer coisa que encontrem pelo caminho, como pequenos animais.

O sentido mais desenvolvido da formiga é o do “faro”. As formigas dispõem de glândulas abdominais que segregam diversas feromonas, substâncias químicas que causam reações específicas noutros indivíduos. Estas feromonas atuam como alarme, como forma de atração sexual e como marcadores dos caminhos, ajudando no reconhecimento de indivíduos. As formigas de um mesmo formigueiro têm um odor especial que as distingue das forasteiras ou inimigas.

Como não têm ouvidos as formigas “ouvem” as vibrações por meio de seus órgãos sensórios, o mais importante doa quais são as antenas utilizadas para cheirar, tocar, saborear e ouvir.

É fácil compreender por que as antenas de uma formiga estão constantemente a mexer-se, pois ajudam-nas a descobrir e a provar comida, a encontrar o caminho que procuram e reconhecer de outras formigas por toque. Com um paladar extremamente bem desenvolvido são capazes de distinguir entre sabores amargos, doces, azedos e salgados.

Além das antenas, as formigas também têm recetores táteis localizados nos pés e nos pelos das pernas, usados para determinar cheiro e sabor. As formigas são animais sociais, que vivem em formigueiros, estratificados por castas, com as rainhas (fêmeas reprodutoras), os machos e as formigas trabalhadoras (fêmeas não reprodutoras). Aqui, alimentam-se e protegem-se umas às outras, criam e cuidam dos filhos numa sociedade altamente organizada, onde cada membro tem uma determinada função a cumprir, de colocar ovos a reunir alimentos ou lutar.

 

Contactos
email: ruimeskuita@gmail.com
telemóvel: 920 053 092
emarp201708-ruimesquita-01
emarp201708...
Detalhes da Imagem Download de Imagem
emarp201708-ruimesquita-02
emarp201708...
Detalhes da Imagem Download de Imagem
emarp201708-ruimesquita-03
emarp201708...
Detalhes da Imagem Download de Imagem
emarp201708-ruimesquita-04
emarp201708...
Detalhes da Imagem Download de Imagem
emarp201708-ruimesquita-05
emarp201708...
Detalhes da Imagem Download de Imagem
emarp201708-ruimesquita-06
emarp201708...
Detalhes da Imagem Download de Imagem
emarp201708-ruimesquita-07
emarp201708...
Detalhes da Imagem Download de Imagem
emarp201708-ruimesquita-08
emarp201708...
Detalhes da Imagem Download de Imagem
emarp201708-ruimesquita-cartaz
emarp201708...
Detalhes da Imagem Download de Imagem
 
 
 
Powered by Phoca Gallery

 

 

 

 
botao_PouparAgua
 
EMARP-concursos_publicos_204