homepage Facebook Twitter RSS Feeds Mapa do sitio
         
temperaturaventoprecipitaçãoIndice UV ESMTG
17.111.6Km/h00
BAIXO
Página Inicial -> SANEAMENTO
Saneamento PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
  1. O que são águas residuais?
  2. Porque é necessário tratar as águas residuais antes de serem descarregadas no meio receptor?
  3. Como é feito o tratamento das águas residuais no município de Portimão?
  4. Controlo de qualidade das águas residuais.
  5. Eliminação de odores na ETAR
  6. Medidas de conservação da natureza na ETAR.

1. O que são águas residuais?

Águas residuais são todas as águas rejeitadas que resultam da sua utilização para diversos fins.

Exemplos destas águas são:

        * Águas residuais domésticas:
              o provenientes das casas de banho;
              o provenientes da cozinhas;
              o provenientes das lavagens de pavimentos.

        * Águas residuais industriais:
              o resultantes de processos de fabrico.

        * Águas de infiltração:
              o resultam da infiltração nos colectores de água existente nos terrenos.

        * Águas de escorrências urbanas:
              o resultam de chuvas, lavagem de pavimentos, regas, etc..
 

2. Porque é necessário tratar as águas residuais antes de serem descarregadas no meio receptor?

As águas residuais transportam uma quantidade apreciável de matérias poluentes (características médias da água residual produzida em Portimão) que se não forem retiradas podem degradar a qualidade das águas dos rios, pondo em causa não só toda a fauna e flora características destes meios, mas também, todas as utilizações que são dadas a estes meios, como sejam, a piscicultura, a utilização balnear, etc..
     
CARACTERIZAÇÃO MÉDIA DAS ÁGUAS RESIDUAIS
PRODUZIDAS NO CONCELHO DE PORTIMÃO

PARÂMETROS CONCENTRAÇÃO MÉDIA
  CBO5 (mg O2/l) 270
  CQO (mg O2/l) 656
  SST (mg/l) 216
  N-Total (mg N/l) 73
  N-Amoníacal (mg NH4/l) 49
  Nitratos (mg NO3/l) <2
   P-Total (mg P/l)
12
  Óleos e gorduras (mg/l) 83
  Sólidos sedimentáveis (mg/l) 7
  Coliformes totais (NMP/100ml) 1,90E+08
  Coliformes fecais (NMP/100ml) 2,40E+07

Nota
Os dados apresentados dizem respeito aos valores médios
calculados a partir dos resultados analíticos referentes aos
anos de 1999 e 2000.






















3. Como é feito o tratamento das águas residuais no município de Portimão?


Em primeiro lugar é necessário recolher todas as águas residuais produzidas nas habitações e transportá-las até à Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR), sito na Companheira.

Este transporte é realizado através de tubagens que se designam por condutas, podendo estas ser gravíticas ou elevatórias.

Condutas gravíticas
Nas condutas gravíticas o escoamentos faz-se no sentido do ponto mais alto para o mais baixo, ou seja, o escoamento ocorre de forma semelhante ao que se verifica na natureza.

Condutas elevatórias
Nas condutas elevatórias o escoamento faz-se no sentido do ponto mais baixo para o ponto mais alto, contrariando a força da gravidade. Desta forma, para que o escoamento ocorra é necessário introduzir energia no sistema. Isto é conseguido através de bombas elevatórias instaladas em alguns pontos do município, que se designam por estações elevatórias.

Depois de recolhidas nos colectores, as águas residuais são conduzidas até à ETAR, onde se processa o seu tratamento.

O tratamento efectuado na ETAR é maioritariamente biológico, recorrendo-se ainda a um conjunto básico de processos unitários para a remoção de sólidos grosseiros e areias.

Neste sentido a água residual ao entrar na ETAR passa por um canal onde estão montadas 2 grades em paralelo, e que servem para reter os sólidos de maiores dimensões, tais como, paus, pedras, etc., que de outra forma iriam prejudicar o processo de tratamento seguinte.

Os resíduos recolhidos são acondicionados em contentores, sendo posteriormente encaminhados para o aterro sanitário.

Muitos destes resíduos têm origem nas nossas casas onde, por inconsciência das consequências de tais acções, deitamos para a sanita objectos como: cotonetes, pensos higiénicos, preservativos, etc.. Estes resíduos devido às suas características são extremamente difíceis de capturar nas grades e, consequentemente, passam para as lagoas prejudicando o processo de tratamento.

Por favor não deite estes resíduos para a sanita. Utilize o seu balde de lixo. O nosso Rio Arade agradece!!

A seguir a água residual, já desprovida de sólidos grosseiros, continua o seu caminho pelo mesmo canal onde é feita a medição da quantidade de água que está a entrar na ETAR, ou seja, o caudal afluente.

A operação que se segue é a desarenação, que consiste na remoção de sólidos de pequena dimensão, como sejam as areias. Este processo ocorre em dois tanques circulares que se designam por desarenadores.

A partir deste ponto a água residual passa a sofrer um tratamento estritamente biológico por recurso a lagoas de estabilização (processo de lagunagem). Este sistema de lagunagem é constituído por 5 lagoas, das quais 2 são anaeróbias, 2 são facultativas e 1 de maturação.

Depois da água residual passar por todos estes órgãos de tratamento, esta é descarregada na confluência da Ribeira de Boína com o Rio Arade.

4. Controlo de qualidade das águas residuais.

A descarga de águas residuais urbanas no meio receptor é regulada pelo Decreto-Lei n.º 152/97, de 19 de Junho. Este diploma fixa valores limite de descarga para os parâmetros CBO5, CQO e SST.

Valores Limite de Descarga de Águas Residuais Urbanas
no Meio Receptor

 PARÂMETRO  VALOR LIMITE DE DESCARGA  PERCENTAGEM MÍNIMA DE REDUÇÃO
 CBO5  25 mg O2/l  70 – 90 %
 CQO  125 O2/l  75 %
 SST  35 mg/l  90 %
 
Para além deste diploma deverá ainda atender-se ao Decreto-Lei n.º 236/98, de 1
 de Agosto que define a qualidade de águas em função do uso a que está sujeita,
designadamente, águas para consumo humano, águas para suporte de vida
aquícola, águas balneares e águas de rega.

No sentido de verificar a conformidade da descarga da ETAR de Portimão com a
legislação em vigor, a EMARP desenvolve um programa de monitorização aos
vários parâmetros indicados na tabela das características médias da água residual
produzida em Portimão.

Este programa de monitorização é efectuado à descarga da ETAR e também ao
meio receptor, designadamente, a montante da descarga, a jusante da descarga
 e na foz do Rio Arade.


PROGRAMA DE MONITORIZAÇÃO

Águas Residuais

Meio Receptor

Lamas

Os dados sobre a qualidade das águas residuais afluentes e efluentes,
assim como, do meio receptor podem ser visualizados fazendo um click
 no botão abaixo. Estes dados, actualizados mensalmente, estão
disponíveis desde 1999.

    
5. Eliminação de odores na ETAR

Como a maioria dos habitantes de Portimão já se deve ter apercebido (pelo menos através do olfacto), a ETAR de Portimão localiza-se no Sítio da Companheira, junto à ponte nova de Portimão. De facto, os odores sentidos quando se passa na EN 125, resultam das características do tratamento existente na primeira fase do processo de tratamento instalado. Esta fase consiste em duas lagoas de estabilização anaeróbias, ou seja, com ausência de oxigénio. Note-se, no entanto, que as águas residuais apresentam por natureza matérias que são responsáveis por tais odores tão desagradáveis.

Tendo a EMARP consciência de que é necessário intervir por forma a solucionar este problema, desenvolveram-se estudos no sentido de encontrar a melhor solução, indo agora a mesma implementar uma medida que permitirá minimizar drasticamente os odores sentidos.

A solução consiste na instalação de arejadores superficiais nas duas lagoas anaeróbias, os quais terão como objectivo a introdução de ar numa camada superficial do líquido por forma a favorecer a oxidação de compostos voláteis que se libertam para a atmosfera.


6. Medidas de conservação da natureza na ETAR

NinhoPor estranho que possa parecer a ETAR de Portimão, devido às suas características de tratamento através de lagoas de estabilização, constitui um local desejado por muitas aves, locais e migradoras, para descanso, alimentação e mesmo nidificação. De facto, de entre as aves que lá se podem encontrar, como sejam: Borrelho de Coleira Interrompida, Corvos Marinhos, Garças, Gaivotas entre outros, existe a Andorinha do Mar Anã ("Sterna albifrons"), que possui o estatuto de ameaçada, sendo protegida pela Directiva Aves e pela Convenção de Berna.

Neste sentido, e por forma a minimizar os impactes causados pela exploração e manutenção normal da ETAR, e a fomentar a reprodução e taxa de sobrevivência desta espécie, a EMARP vai implementar uma série de medidas de Conservação da Natureza. Estas medidas incluem:


    Medidas de prevenção:

    * colocação de uma vedação em redor das lagoas (para evitar a queda e afogamento das crias);
    * construção de abrigos apropriados;
    * construção de uma vedação para impedir a entrada de pessoas estranhas e animais.


    Medidas de exploração:

    * definição de corredores de manutenção com utilização de viatura e pedonais;
    * ausência de corte da vegetação no período da Primavera até ao Outono.
 

    Medidas de monitorização:

    * contagem do número de ninhos, ovos e crias.
 

 

 

 

 
botao_PouparAgua
 
EMARP-concursos_publicos_204